» TIPOS DE ESCOLA

O SEGUIMENTO DA SUA ESCOLA


Logo no inicio do projeto, você precisa definir a que publico quer atingir. Existem escolas especializadas em crianças e adolescentes, neste caso as modalidades mais populares são ballet clássico, jazz e sapateado. Há aquelas focadas em adultos, com uma variedade maior de opções, como: danças árabes, dança cigana, flamenco, contemporâneo, dança de salão, etc.

Tem também as escolas seguimentadas, que dedicam-se a uma ou duas modalidades no máximo. Enfim, são várias opções, mas o mais importante é definir sua estratégia e montar sua escola de forma a abranger as necessidades das modalidades que serão ministradas.

Quanto mais opções, mais chances de conseguir alunos porem mais desafios para administrar. As vezes, sua escola tem uma modalidade “carro chefe” e as demais modalidades podem passar a impressão aos alunos de “tapa buraco” ou falta de dedicação ou profissionalismo pois não é a atividade principal da escola. Isso faz com que o índice de evasão aumente e você tenha problemas em dar continuidade a estas aulas.

O importante é fazer com que o aluno sinta-se importante, independente da modalidade que frequenta. Quando o aluno sente-se em segundo plano não é bom para seu negocio, nem para o aluno e nem para o professor.

Cada modalidade exige investimento em infraestrutura diferenciado. Você deve levar estes custos em consideração enquanto elabora seu plano de negócio.

 

Saiba Mais

Faça seu cadastro para saber mais informações sobre o Negócio em Dança.

Nome: E-mail:

 

» Análise de Mercado

Durante o processo de escolha de modalidades, você deve analisar o bairro no qual pretende montar sua escola de dança. Verifique todas as opções existentes, o quanto as pessoas estão dispostas a pagar pelo seu serviço. Qual o perfil dos moradores, se o acesso é fácil, etc. Respondendo a estas perguntas, você poderá ter uma ideia mais clara sobre o perfil do seu publico e as modalidades que são propícias a melhor resultado.

Lembre-se: você tem que combinar seu sonho de negocio próprio com a necessidade do mercado. Caso contrario será uma utopia!

» Diferencial

Sua escola terá mais chances de sucesso se apresentar um diferencial em relação as demais escolas. Use sua criatividade para criar opções que irão ao encontro da necessidade de seu publico.

Dicas

  • As pessoas têm cada vez menos tempo disponível, grade de horário flexível pode ser uma boa opção;
  • Comodidade: se o aluno puder encontrar os produtos relacionados a modalidade que frequenta, na sua escola, será mais um ponto a seu favor;
  • Alimentação: se houver a opção de alimentação na própria escola, poderá aumentar o tempo que o aluno se dedica às atividades. Quanto maior a frequência do aluno, maior o índice de retenção.

Importante:
Se você optar por oferecer tais comodidades aos seus alunos, preocupe-se com a qualidade, presteza, atenção, caso contrario pode resultar em insatisfação.

» Agregando Valores

Dentro de uma escola de dança, são muitas as opões de aumento de faturamento, independente das aulas. Mas uma coisa precisa ficar muito clara, na mesma proporção em que se pode ter lucros, haverá trabalho extra.
Você vai precisar de uma equipe coesa para fazer as coisas acontecerem. Pode ser uma grande chance de aumentar seu lucro, mas tenha cuidado para que não seja a ultima chance…

Mostra de Danças: as mostras são muito bem-vindas em uma escola de dança. Em média, consegue-se adesão de 30 a 40% dos alunos. Se bem sucedida, contribui para o aumento do nível de retenção e fidelização. Pode ser anual ou semestral. No geral precisa de um ano de planejamento e engajamento dos professores. São muitos os itens que envolvem uma mostra, desde encontrar o lugar ideal até figurinos, cenários, iluminação, direção artística, etc. Pode ser uma ótima fonte de lucro, mas se mal administrada pode provocar evasão de alunos, principalmente os que não participam da mostra. É preciso ter cuidado também para não inibir o ingresso de novos alunos durante o período de ensaios.

Loja: montar uma pequena loja dentro da sua escola de dança pode ser uma ótima opção de lucro extra. Mas lembre-se: você precisa regularizar seu CNPJ de forma a estar apto a emitir nota fiscal de prestação de serviços e venda de produtos. A loja será um negocio dentro do seu negocio. Precisa ter administração separada e investimento próprio para que dê certo. Requer dedicação e tempo para desenvolver fornecedores, controle de estoque, controle de pedidos, entrega de mercadorias, etc. O ideal é você ter um responsável voltado diretamente a loja. Se bem administrada, pode trazer grandes benefícios.

Lanchonete: assim como a loja, deve ser encarada como um outro negocio dentro da sua escola. Também requer dedicação e tempo. Quanto mais itens oferecer, maior o lucro e maior o trabalho. Pode trazer muitos benefícios aos alunos, principalmente comodidade. Aumentar a frequência e fidelização. Neste caso, procure um profissional do setor para assumir a lanchonete.

Cursos Temporários e Workshops: costumam ser bem aceitos, principalmente em períodos de férias (julho, dezembro e janeiro). Faça uma pesquisa entre seus alunos para saber quais temas e profissionais eles têm interesse e até quanto estão dispostos a investir. Depois busque uma negociação sadia, na base do ganha/ganha e ofereça mais esta opção aos seus alunos.

Locação de salas: você pode ser procurado por profissionais de infinitas áreas solicitando cotação para locação de salas. Apesar da proposta ser tentadora, principalmente nos horários de baixa frequência, analise com cuidado e verifique se determinado serviço não vai oferecer uma concorrência dentro de seu próprio negocio ou vai vincular sua marca a algo que não é compatível com o publico que você atende. Se não oferecer risco algum, pode ser uma boa opção de aumentar o faturamento.

» Franquias

As franquias podem ser uma boa opção para realizar seu sonho: ser proprietário de uma escola de dança.

Porem você precisa analisar detalhadamente as condições da franquia para saber se é mesmo um bom negocio.

O sistema de franquia, também conhecido como franchising, voltado a reproduzir um conceito de negócio, tem se firmado como interessante alternativa de mercado a empresários e empreendedores, seja na qualidade de franqueadores ou na de franqueados, sendo a assessoria jurídica um ingrediente fundamental para a sua correta operacionalização.

Regulamentada pela Lei nº 8.955/94, a franquia empresarial é o “sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso de marca ou patente”, associado aos direitos de:

  • Distribuição exclusiva ou semi-exclusiva de produtos ou serviços e, eventualmente, também;
  • Uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistema operacional desenvolvidos ou detidos pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem que, no entanto, fique caracterizado vínculo empregatício.

Em outras palavras, o contrato de franquia permite que um empresário (franqueador) que detenha uma marca de sucesso associada com a distribuição de produtos ou serviços, possa, mediante remuneração, ceder a outro empresário (franqueado) a exploração de sua marca, do seu “know-how”, e da estrutura de seu negócio.

A franquia compreende não apenas a licença de uso da marca conceituada, mas a padronização da organização empresarial dos franqueados, pois estes devem adotar todas as diretrizes do franqueador, tais como:

  • A forma de colocação/oferecimento do produto ou serviço no mercado;
  • A apresentação do produto ou serviço;
  • A apresentação da loja, logotipo, layout, cores, uniformes dos funcionários, forma de estoque de mercadorias, entre outras.

A franquia funciona por meio de instrumento contratual firmado entre franqueado e franqueador.

O franqueador, por imposição legal, deve oferecer ao franqueado, com no mínimo 10 (dez) dias de antecedência da celebração do negócio, todas as informações referentes àquela franquia (a chamada “Circular de Oferta de Franquia” – COF), tais como:

  • Perfil do franqueado;
  • Obrigações e direitos das partes;
  • Investimento inicial;
  • Projeção de retorno do investimento;
  • Transferência ou não de conhecimento específico (“know how”);
  • Utilização da marca;
  • Publicidade, entre outros.

A franquia traz vantagens tanto para o franqueador quanto para o franqueado, pois o franqueador, além de ser remunerado pelo franqueado, consegue expandir a sua marca e o seu negócio sem precisar despender recursos financeiros com abertura de novos estabelecimentos, publicidade e afins.

Ao franqueado as vantagens também são imensas, uma vez que o empresário interessado inaugura o seu negócio com uma marca já aceita, testada e consolidada no mercado, além de ter à sua disposição toda a orientação de estrutura organizacional de uma empresa que está dando certo no mercado.

Conforme informações da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o sistema de franquias no Brasil teve um enorme crescimento nos últimos anos.

Para quem deseja ampliar a sua marca ou seu negócio, ou para quem deseja investir em um negócio que já apresenta sucesso no mercado e oferece projeção do retorno do investimento, o contrato de franquia apresenta-se como uma excelente opção.

» 10 Dicas para Adquirir uma Franquia

1. Auto avaliação
Faça uma rigorosa avaliação sobre si mesmo. Identifique seus pontos positivos e negativos. Quais são suas principais dificuldades? Quais são suas potenciais qualidades? Quais são seus objetivos pessoais e profissionais? Você está preparado para enfrentar os desafios de se tornar um empresário? Você está preparado para encarar a possibilidade de um insucesso? Você está apto a receber as orientações de um franqueador e trabalhar seguindo normas e padrões pré-estabelecidos? Você se identifica com o negócio escolhido?

2. Capital disponível
Seu capital é suficiente para investir no novo negócio sem comprometer a economia familiar? Seu capital é suficiente para suportar o início de um negócio até que atinja o ponto de equilíbrio (receita=despesas)? Você dispõe de reservas para suas despesas pessoais e domésticas até que o negócio lhe permita efetuar retiradas?

3. Pesquise alternativas de mercado.
Analise e estude todas as possibilidades disponíveis. Consulte revistas e guias especializados em franquias. Freqüente as feiras do setor (ABF Franchising Expo, Rio Franchising Business, Feiras do Empreendedor, etc.) Visite sites de franquias (www.centraldefranquias.com, www.abf.com.br, etc.)

4. Mercado.
Analise cuidadosamente o mercado e a região onde pretende instalar sua franquia. Pesquise se existe demanda de mercado para o produto/serviço que irá oferecer. Estude a concorrência. Se for o caso, contrate uma empresa especializada em pesquisas.

5. Conheça bem o negócio.
A melhor maneira de conhecer uma franquia é contatar os franqueados da rede. Procure manter contato com vários franqueados. Saiba através deles quais são os pontos positivos e negativos do negócio. Questione a respeito da satisfação deles com o suporte oferecido pelo franqueador. Procure conversar principalmente com aqueles que se desligaram da rede. Descubra qual foi o motivo que levou a isso. É obrigatório que na Circular de Oferta de Franquia constem nome e endereço de franqueados que se desligaram da rede nos últimos 12 meses.

6. Conheça a equipe do franqueador.
Procure, se possível, conhecer a sede da franqueadora e sua estrutura. É importante conversar com os responsáveis pelo suporte operacional da rede. Saiba quais são os treinamentos oferecidos ao franqueado. Questione sobre quais as ações desenvolvidas em momentos de crise ou de conflitos. Conheça quem irá atendê-lo diretamente.

7. Circular de Oferta de Franquia.
Esse é o documento principal de uma franqueadora e existe por força da lei 8.955/94 que regulamentou o sistema de franquias no Brasil. Nesse documento deve constar todos os aspectos relacionados ao negócio, portanto estude-o com afinco e questione o franqueador a respeito de todas as dúvidas existentes.

8. Contrato de Franquia.
Submeta o Contrato de Franquia à análise de seu advogado de confiança. Esse contrato deve ser parte integrante da Circular de Oferta de Franquia. Lembre-se que esse contrato o deixará vinculado ao franqueador por alguns anos, e você nunca poderá alegar que não leu o contrato antes de assinar. Para oferecer mais garantia ao franqueado, a lei determina que o candidato a franqueado só assine o contrato após estar com o mesmo a no mínimo 10 dias.

9. Responsabilidade.
Lembre-se que após a assinatura do contrato você estará comprometido com o negócio e com o franqueador. Esse comprometimento certamente afetará sua vida pessoal e familiar de forma positiva ou negativa pelo período de duração do contrato. Portanto não tome a decisão de se tornar um franqueado de maneira impulsiva. Pense, analise todas as circunstâncias e estude principalmente as possibilidades de fracasso.

10. Sucesso.
Para se atingir o sucesso em uma franquia é imprescindível que você siga as normas e padrões estabelecidos pelo franqueador. Lembre-se que o sucesso do negócio está baseado na forma e no método utilizado pelo franqueador. Portanto, não gaste suas energias discutindo ou criando conflitos com o franqueador, afinal o sucesso e o lucro dele virá do seu sucesso e do seu lucro. Quando você ingressa numa franquia e abre seu estabelecimento, você conta com toda experiência e know-how adquiridos pelo franqueador. É por essa experiência que você está pagando.
Caso você tenha dificuldades em seguir normas e padrões, reveja sua decisão de se tornar um franqueado, e abra um negócio independente, com todos os riscos que ele oferece.